Um P-51D para “matar” todos os outros

dcs_mustang1Apesar de ter  experimentado algumas versões do P-51D Mustang, não resisti a comprar a do DCS, agora que o meu computador novo me deixa correr os simuladores a toda a resolução do ecrã, detalhe no máximo e movimento que não parece um diaporama.

Quem leu os meus recentes artigos aqui sabe que estou a redescobrir o Flight Simulator e uma série de outros simuladores graças à aquisição de um computador de última geração. Foi nesse contexto que decidi adquirir o P-51D Mustang da Eagle Dynamics para Digital Combat Simulator, para juntar ao Black Shark e ao A-10 que andam por ali, em módulos mais antigos.

Verdade, apesar de se tratar de um P-51D Mustang para o DCS, não foi necessariamente a pensar em grandes combates que os autores o criaram, pelo menos por agora. O que a mim me convém de forma absoluta, porque pretendo mais descobrir o P-51D como aparelho de voo do que como máquina de guerra. Efectivamente, a minha paixão pela aviação militar continua viva, mas não necessariamente para andar aos tiros, como ousaria fazer quando comecei a voar Spitfire no Spectrum, há um ror de anos atrás. O meu fascínio são as máquinas, e a possibilidade de as colocar no ar. Tivesse eu tempo e encheria o meu hangar virtual com aparelhos para experimentar. Mesmo assim, sem tempo, acabo por ter mais do que consigo, realmente, fruir. Mas pronto, lá fui comprar o P-51D.

Quando escrevo que este P-51D “mata” todos os outros posso estar a exagerar um pouco, porque não me arrogo o conhecimento de todas as simulações do género existentes no mercado. Por exemplo, o P-51D da A2A Simulations é capaz de ser um bom antagonista, pelo que conheço do Spitfire que possuo da colecção A2A Simulations. Mas existem vantagens num e noutro lado da barreira, calculo. Nas versões da A2A temos o envelhecimento da máquina, a “contabilidade” das horas de voo e de como isso é feito, o que torna a experiência muito real, até ao ponto de se ter de investir no motor. Para quem pretende explorar esse aspecto, a simulação completa da A2A pode ser a escolha. Mas do lado do DCS existe o preço mais acessível da experiência (no P-51D da A2A é necessário ter o FSX e adquirir o módulo), e a vertente de combate, que pode interessar a muitos.

Verdade seja dita, o P-51D da DCS, tal como está, é uma solitária experiência de combate online ou mesmo na versão solitária, porque não existe mais nenhum aparelho do mesmo período para defrontar. Mas a verdade é que a Eagle Dynamics nunca pensou em deixar o seu P-51D solitário. E as notícias indicam que na calha está um DCS: Fw 190-D9, que integrará o universo de combate em duas versões: controlado pela Inteligência Artificial e voável pelos utilizadores. Voltarei ao tema, abordando outras propostas que farão o DCS crescer e confirmam o que escrevi aqui: a simulação de voo parece estar a recobrar de um longo adormecimento

dcs_mustang2Voltando ao P-51D Mustang, a aquisição desta versão colocou logo o P-51D do FSX no fundo do hangar, em reforma compulsiva. Não resisti a sair de um e voar no outro, e foi como sair de um carro de luxo para um carrinho  de choque de feira. De facto, o modelo de voo do P-51D da DCS é impressionante,  criando uma imersão para que concorrem também os gráficos, claro, do cockpit em que tudo funciona, até ao ambiente exterior. Não que o FSX não seja bom com os módulos que o podem embelezar, mas o universo da DCS é excepcional. Pena que seja somente feito de pedaços de mapas e não o universo do FSX. Portanto, temos sempre a balança neste equilíbrio.

O P-51D não é fácil de usar, a não ser que se invista algum tempo na aprendizagem. Mas os manuais, “aulas” e informação disponíveis ajudam a consolidar o conhecimento da aeronave, garantindo que se consegue fazê-la subir aos céus e descer em segurança. Esse é um grande desafio. Para alguns pode saber a pouco, mas para mim o gozo está em, após um dia de trabalho inenso, tirar uma hora ou duas e voar, como faria se tivesse o meu próprioa P-51D real. Não o tendo, o dinheiro investido nesta versão virtual, dou-o por bem empregue. A sensação de voar alguns quilómetros, testar limites e, sobretudo, divertir-me, cumprem o seu papel de me manter ligado e activo a um meio que me apaixona.

0 0 vote
Article Rating
8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
j.c.monteiro
7 anos atrás

Escelente artigo – mais um José Antunes a trazer nova vida a este grande site que bem devemos à persistência do Jorge Diogo!!! Bom, como sabes, e é fácil ver pelos posts do “jcomm” lá no site da ED, considero esta a melhor simulação de um avião daquele tipo alguma vez implementada. Acho que experimentei praticamente todos os simuladores, incluindo alguns militares, tal como tu não por gostar de “andar aos tirinhos” mas sim pela paixão pelas máquinas e pelo voo. Foi muito desconfiado, e depois do Tércio ter andado anos a convencer-me, que acabei, o ano passado, por dar… Read more »

Jose Antunes
7 anos atrás
Reply to  j.c.monteiro

Bom dia. E de novo obrigado pelo comentário. Enquanto o Jorge Diogo não me correr daqui, por eu falar em coisas estranhas, vou dando corda à pena. Diverte-me escrever sobre o tema e o facto de andar mais atarefado com ele agora – o novo computador de novo – ajuda. De facto tens razão, por vezes pergunto-me como o Jorge Diogo conseguiu manter este espaço vivo todo este tempo. Eu lembro-me que o Hangar 21, que criei e mantive, acho que por dois anos, acabou por fechar, por absoluta falta de tempo ou vontade de. Felizmente que pela mesma altura… Read more »

João José Falcão
7 anos atrás

É um prazer ler estas opiniões de quem gosta verdadeiramente de voar.Desculpem interromper estas vossas conversas mas despertou-me a curiosidade de saber as carateristicas da “maquina” com que o José Antunes fala com tanto entusiasmo e satisfação.Tenho uma justificação para esta intromissão. refiro-me ao FSX.Gostaria de saber a sua opinião sobre o disco rigido SSD. Tenho o indice de desempenho do windows em 5,9 no meu disco ( que é um Sata dos antigos) este o valor mais baixo em comparação com o CPU Intel core 2 Quad Q9550 2,83 (desempenho 7,3) memoria RAm 8GB (desemp.7,3) Grafica Nvidea Geforce GTX650… Read more »

Jose Antunes
7 anos atrás

Caro João Falcão eu continuo a achar os SSD caros e apostei num disco SATA para o sistema operativo, porque gosto de ter nele as minhas ferramentas de trabalho, Photoshop e muitas outras, e de repente um disco SSD é pequeno. Tenho um disco SATA de 2TB, com um segundo disco no PC com outros 2TB, onde arrumo a generalidade das simulações, se bem que mantenha o FSX no disco do sistema. E depois tenho 4TB externos ligados à máquina, para arquivo de trabalho. Para já. O meu valor de índice por causa do disco é idêntico ao seu, 5.9… Read more »

João José Falcão
7 anos atrás
Reply to  Jose Antunes

Caro José Antunes Um bom dia e agradecer-lhe o cuidado em satisfazer os meus anseios. Falta minha não ter lido completamente o seu excelente trabalho (não me fiquei pela 2º) mas parei-me pelas da natureza não me apercebendo que tinha toda a explicação que me interessava. As minhas desculpas.Estão lá quase todas as respostas que precisava, mas mesmo assim ainda acrescentou mais da sua experiencia e conhecimento. Tenho agora que racionalizar e gerir os meus requisitos. No respeitante a discos tenho a mesma opinião, o SO e programas no C: e todos os outros trabalhos em diversos discos de 500… Read more »

jose Antunes
7 anos atrás

Caro João Falcão Ainda bem que a resposta lhe serviu para algo.Os discos podem ser maiores do que o que indica, actualmente os discos de uma marca de qualidade são o melhor meio de arquivo. O importante é fazer backup constante e é por isso que lhe escrevo esta nota. Quando refiro que tenho 4TB externos, eles estão divididos em dois discos de 2TB, que são cópias exactas um do outro em termos dos ficheiros que são importantes para mim. O backup é essencial. Eu tenho o meu sistema de backups a fazer backup diário de tudo o que pretendo… Read more »

João José Falcão
7 anos atrás

Caro José Antunes Faz todo o sentido em tudo o que refere. aliás em todos os discos que possuo, num total aproximado de 4 GB distribuidos por 1,5 + 1.0 + 2×500+1×600+ 2×250. todos externos. São ficheiros dos addons originais do Hangar,muitos do FS9 que agora não utilizo, filmes do You Tube sobretudo tutoriais e ultimamente alguns em HD que me diliciam tambem com a qualidade que tem. Tenho outros ficheiros de alguns voos que faço.A parte de leão está em ficheiros que converti dos filmes de 8mm p/b e cores desde a minha adolescencia prioridade para familia, filhos netos… Read more »

Jose Antunes
7 anos atrás

Os SATA III não fazem diferença em termos do índice do Windows (que de qualquer modo não importa). Os meus discos são todos SATA III.